Nietzsche – Vida e Obra

Nietzsche

Nietzsche

Friedrich Wilhelm Nietzsche nasceu em Röcken, na Alemanha, em 15 de outubro de 1844. Órfão de pai aos 5 de idade foi instruído pela mãe nos rígidos princípios da religião cristã. Cursou teologia e filologia clássica na Universidade de Bonn.
Lecionou Filologia na Universidade de Basiléia, na Suíça, de 1868 a 1879, ano em que deixou a cátedra por doença. Passou a receber, a título de pensão, 3.000 francos suíços que lhe permitiam viajar e financiar a publicação de seus livros. Empreendeu muitas viagens pela Costa Azul francesa e pela Itália, desfrutando de seu tempo para escrever e conviver com amigos e intelectuais. Não conseguindo levar a termo uma grande aspiração, a de casar-se com Lou Andreas Salomé, por causa da sífilis contraída em 1866, entregou-se à solidão e ao sofrimento, isolando-se em sua casa, na companhia de sua irmã e de sua mãe. Atingido por crises de loucura em 1889, passou seus últimos anos de sua vida recluso, vindo a falecer no dia 25 de agosto de 1900, em Weimar.
Nietzsche era dotado de um espírito irrequieto, perquiridor, próprio de um grande pensador. De índole romântica, poeta por natureza, levado pela imaginação, Nietzsche era o tipo de homem que vivia recurvado sobre si mesmo. Emotivo e fascinado por tudo e o que resplende vida, era ao mesmo tempo sedento por liberdade espiritual e intelectual; levado pelo instinto ao mundo irreal, ao mesmo tempo era apegado ao mundo concreto e real; religioso por natureza e por formação, era ao mesmo tempo um demolidor de religiões; entusiasta defensor da beleza da vida, era também crítico feroz de toda fraqueza humana: conhecedor de si mesmo era seu próprio algoz; seu espírito era campo aberto em que irromperam as mais variadas tendências, sob a influência de sua agitada consciência.
Espírito irrequieto e insatisfeito, consciência eruptiva e crítica, vivia uma vida de lutas contra si mesmo, de choques com a humanidade, de paradoxos sem limite. Assim era Nietzsche.

Principais obras:

A Gaia Ciência
A Genealogia da Moral
Além do Bem e do Mal
A Origem da Tragédia
Assim Falava Zaratustra
Aurora
Considerações Intempestivas
Ecce Homo
Humano, demasiado humano
O Anticristo
O Caso Wagner
Crepúsculo dos Ídolos
Opiniões e sentenças misturadas
O Viajante e sua sombra
Vontade de Potência

__________________________________________________________

Referências:

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim Falava Zaratustra. 2ª edição. Ed. Escala, 286 p. (Coleção Grandes Obras do Pensamento Universal – 1)
___________________________________________________________

Por Henrique Guedes

Anúncios