televisao_jose-maria-niimura[1]

O trabalho aqui apresentado trata-se de uma pesquisa sobre concepções à cerca da adolescência apresentadas na mídia televisiva.

A Psicologia Socio-Histórica tem como base, como noção básica os fenômenos que cercam o indivíduo; aborda cada ser pelo seu comportamento, pela sua inserção social.
A sociedade organiza seu trabalho para atender as exigências da existência. Nesse processo podemos tomar como mediações a linguagem e a ideologia.
A linguagem, com seus significados sociais produzidos historicamente, está disponível para o indivíduo atribuir seus sentidos pessoais a esses significados.
A ideologia, por sua vez, atravessa todo esse processo e confere uma referência objetiva e determinados significados sociais, isto em nível de idéias, expressão.

Para considerar todos os aspectos ao processo de desenvolvimento da adolescência, devemos considerar cada jovem em sua singularidade. Na medida em que o jovem toma para si estes significados, eles se transformam em mediações na constituição de sua consciência.
globo[1]Como principal produtor e difusor de idéias na sociedade, temos a televisão. Pecualidades da televisão torna possível a relação com o público espectador. O fato de trabalhar com imagens estilizadas, colocando o espectador como o responsável pela finalização de sua configuração plástica confirma isso.
Outra marca deste meio é a confusão entre realidade e fabulação; nem sempre isso fica claro.
Programas televisivos foram analisados visando uma análise de como a adolescência aceita estas informações passadas por este meio de comunicação.
Três emissoras foram analisadas, sendo elas a Globo, a MTV brasileira e a TV Cultura de São Paulo. A partir do que foi observado nas três emissoras, percebe-se que importantes noções da adolescência, estas que valorizam o jovem, mas que por outro lado implicam pouco espaço de reflexão e posicionamento crítico frente ao que é apresentado, são frutos de uma suposição do que seria interessante para o adolescente.

A TV na sociedade e na vida do adolescente é um fato. Pensando MTV-Logo_384_458764a[1]assim, é importante apontar possibilidades e alternativas críticas para com a mesma. Aquilo que é veiculado pela televisão faz parte da sociedade e do comportamento social. Jovens podem ser influenciados pelas informações fornecidas pelo mundo da televisão – isso apenas depende da mensagem que é passada para o jovem e a expectativa do jovem para com a televisão. Evidenciar esse aspecto discutindo de que forma isso atinge o jovem, talvez seja uma mudança nos padrões televisivos quando o assunto são os jovens.

tvcultura_1[1]De fato a mídia televisiva tem um poder sobre a sociedade, em especial nos jovens. O poder de influenciar com mensagens diretas e nem sempre claras são dirigidas para este grupo em especial. Tudo depende da forma que o adolescente receberá estas informações.
Na maioria das vezes os programas com temática “jovem” colocam os problemas, respondem e ao mesmo tempo dizem ser certo ou errado. O jovem sempre esteve mais como um receptor de informação que uma fonte de pensamentos, até mesmo no seu meio.

__________________________________________________________

Referências Bibliográficas:

GONÇALVES, Maria da Graça Marchina. In: OZELLA, Sérgio. Adolescências Construídas. Concepções de Adolescência Veiculadas pela Mídia Televisiva: um estudo das produções dirigidas aos jovens.

__________________________________________________________

Por Henrique Guedes

Anúncios