É, meus caros, a coisa parece estar feia para o lado dos ateus apaixonados. Nunca fora visto tantas barreiras desde Romeu e Julieta, vejam só. No entanto, amar um ateu é mamão com açúcar. O primeiro passo é simples: ame. Minha querida crente, nós, ateus, são somos animais. Religião não define caráter. Venha, ame o seu ateu como se ele fosse um cristão, pois…não há diferença.

O segundo passo, minha cara amiga, é deveras importante: além de amar, você deve respeitar seu ateu. Existe muito preconceito à cerca do nosso ateísmo. Somos um bando de patinhos feios na sociedade. Sofrer preconceito por quem amamos é a única coisa que não queremos. Imagine, amiga leitora, se a Bela tivesse preconceito com a Fera, como ficaria o romance?

O terceiro passo é difícil, quase uma prova de matemática surpresa. Seu deus não tem o menor valor para nós, ateus. No entanto, um ateu bem resolvido não ligará para esse pedaço de alface no dente do romance. Faça o mesmo. É deveras importante um respeitar o pensamento do outro…não tente converter seu ateu, pois nós, ateus, não tentamos a cada troca de saliva transformá-la em uma atéia. Agora, se seu ateu tenta “convertê-la”, chute a canela dele.

Minha cara amiga crente fique atenta a esse passo: o seu ateu não te acha louca. Fora da racionalidade, no máximo, mas louca não. Pense, minha cara: se o seu ateu acha que você é louca, ele não tem amor próprio. Um ateu não espera em deus, não acha que você fora um presente do mesmo, assim como não acha que você entrou em sua vida para mudá-lo de 51 para água benta. O seu ateu te ama porque você é um reforço positivo para ele. Ele ama você, e mais ninguém…ou nada…sei lá.

Também não tente mudar a rotina do seu ateu. Esse é o quinto passo. Ele pode ir à sua igreja, acompanhá-la no culto, quando ele quiser. Não se tranque aos finais de semana lá e fique esperando ele assoprar e assoprar, até derrubar a porta. Lembre-se: você não vai ao bar com ele, muito menos ao show cover do Judas Priest. Forçá-lo a ir com você na igreja é muito…forçado. Mas se ele for, bem, ele fez por você…e considere isso mais importante que a percepção do seu ateu para com seu corte de cabelo novo.

Amar um ateu é fácil. Basta amá-lo com se você fosse amar um humano, pois é isso que nós ateus somos: humanos. Ah! Nunca termine com o seu ateu usando o nome de deus. Até porque o primeiro mandamento não permite isso. E se seu ateu é ao mesmo tempo seu pecado, ótimo. No fim, a função do pecado é existir para ser perdoado. Aceite seu pecado…e seja feliz. Um peixe pode se apaixonar por um pássaro, e isso não significa que um precisa morrer afogado, ou que o outro precisa morrer por falta de água. Crie asas, ou aprenda a nadar.

 

Por Henrique Guedes

 

Anúncios