Olá, amigos e amigas. Neste domingo vazio, tedioso, e frio, resolvi falar sobre algo que quero falar já faz algum tempo, mas deixando sempre para depois, nunca fora feito.  Há algum tempo, meu grande amigo Eduardo Amorim, do Blog do Galila, e eu visitamos a Casa da Lagartixa Preta “Malagueña Salerosa”, uma comunidade anárquica, muito bacana. A casa é bem falada entre os ativistas e entre os moradores da região; pudera, o espaço oferece muito em troca de nada, afinal, essa é uma das bases do anarquismo.

A recepção fora plausível. Aliás, ressalto a boa recepção da Marina Amorim, uma moça muito legal e atenciosa. Ela esteve durante todo o tempo que permanecemos na casa do nosso lado, disponível para perguntas. Ela explicou parte do funcionamento da casa, assim como apresentou os outros ativistas e o que a casa oferece.

Bem, ninguém melhor para se apresentar que os próprios ativistas atuantes na casa, não é mesmo? Sendo assim, segue a apresentação oficial, postada do site do Ativismo ABC:

“A Casa da Lagartixa Preta ‘Malagueña Salerosa’ é um espaço de
autogestão, solidariedade e ajuda mútua no bairro Casa Branca, em Santo André (SP).

É um ponto de difusão e encontro de pessoas e práticas libertárias, aberto para a vizinhança e para a região do ABC, bem como para outros coletivos e gentes das partes mais diversas do planeta ou de fora dele.

Sua localização é de fácil acesso, está a mais ou menos dois quilômetros (15 minutos a pé) da estação Santo André, na qual se cruzam duas linhas importantes de transporte no ABC e na Grande São Paulo: a linha de trem Luz-Rio Grande da Serra (que corta as cidades de São Paulo, São Caetano, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra) e a linha de tróleibus Jabaquara-São Mateus (que corta São Paulo, Diadema, São Bernardo, Santo André e Mauá). No local também há um terminal de ônibus municipais e intermunicipais.

Através da casa e das atividades que trazemos para ela ou que levamos dela para outros lugares, buscamos pôr em prática o modo de vida em que acreditamos, fazendo experiências de intercâmbio e produção não-mercantis, valorizando as diferenças humanas e não só humanas, com base na ecologia e na ajuda mútua.

Fazemos experimentos de permacultura, bioconstrução, reciclagem, dádiva e reaproveitamento de objetos usados, uso de plantas que crescem na cidade (para fins medicinais e alimentares), reaproveitamento de alimentos (que coletamos na feira livre na rua da casa), culinária (com foco no vegetarianismo), faça-você-mesmo (produção de livros, camisetas, sabão etc.), criação e fomento de cooperativas (de alimentos, roupas etc.), pedagogia libertária e o que mais tiver a ver com maneiras solidárias, libertárias e ecológicas de vida.

Temos horta e biblioteca comunitárias,captador de água da chuva, composteira, círculo de bananeiras (alimentado pela água da pia da cozinha etc.), estante de dádivas (na qual pode-se doar objetos usados em bom estado, ou retirá-los
gratuitamente), um espaço para produções e artes (pintura, artesanato,
silk-screen) e brinquedos para as crianças, uma sala para debates e momentos de ócio, um galpão que construímos (onde guardamos ferramentas, banco de sementes e fazemos manutenção de bicicletas) e espaços abertos para novas propostas.

Lá promovemos debates sobre os mais diversos temas, encontros de agroecologia e permacultura, fanzineiros, pedagogia libertária, reuniões de coletivos libertários, eventos artísticos e festivos. Durante a semana temos atividades fixas como a Segunda Vagabunda (atividade quinzenal com temas diversos sobre artes, que mudam mensalmente, das 20h às 22h na segunda-feira), ioga (quinta-feira, das 15h às 17h) e o Almoço Grátis (coleta de alimentos na feira, produção, comilança e limpeza coletiva, das 12h30 às 15h na sexta-feira). Temos grupos de estudos e práticas de capoeira angola
(segunda-feira, das 9h às 11h) e agroecologia e construção (quinta-feira, das 9h às 13h). Mensalmente também oferecemos uma festa que visa arrecadar fundos para o pagamento do aluguel da casa, sempre com um tema culinário: pizza, feijoada vegana etc.

Também atuamos na nossa rua (jogando futebol, fazendo brincadeiras e danças), no bairro (plantando árvores, coletando ervas nativas das calçadas e apoiando vizinhos) e estamos ligados a outros coletivos e espaços no ABC e fora dele.

A Casa da Lagartixa Preta “Malagueña Salerosa” é um espaço aberto
também à sua intervenção, desde que de acordo com nossos princípios. Venha participar!” (Ativismo ABC).

Também é possível acompanhar a agenda da casa pela comunidade oficial no Orkut. O trabalho desenvolvido na casa é fabuloso, e deve ser reconhecido. Aliás, estou querendo visitar, mais uma vez, a casa. Se tiver alguém interessado, basta entrar em contato via e-mail, ou aqui mesmo, nos comentários.

___________________________________

Endereço: Rua Alcides de Queirós, 161 – Bairro Casa Branca, Santo André. 09015-550

___________________________________

Referência:

Ativismo ABC. Acesso em 31 de Julho de 2011. Disponível aqui.

___________________________________

Abraços libertários,

Por Henrique Guedes

Anúncios