Evoluídos, pensamos ser,
Que nada, maluquice a nossa.
Nas pernas, correntes invisíveis,
Na cabeça, liberdade platônica.

Não, Sr. Sapiens,
Não somos livres como pensamos.
Trocamos nossas vidas,
Por trocados, migalhas, e humilhação.

Sem vestimentas, cadê o pudor?
Sem alimento, cá está a fome.
Sem moradia, vagabundo!
Essa é a nossa sobrevivência.

Cale-se atrevido!
Essa é a nossa evolução.
Fluído mecânico no lugar de sangue.
E no lugar do resto, ilusão.

Anúncios