Olá, amigos e amigas. Pensei que terminaria a semana sem postar nenhum texto novo aqui no Personalogia; cansado, resfriado, e estressado, estava sem pique para escrever. Bem, a coisa mudou ontem, no trabalho, depois de acompanhar um discurso chulo de um colega. Estávamos assistindo uma matéria sobre a miséria na África, quando esse colega de trabalho levanta, desliga a TV e começa a pregar. Segundo ele, os africanos só têm a miséria como se fosse um membro da família porque merecem. Sim, amigos, ele acha que as crianças africanas morrem de fome e de sede porque merecem.

Segundo ele, os africanos são amaldiçoados por deus, isso por venerarem outros deuses. E ressaltou: trata-se de um povo que deve ser esquecido, até que eles aceitem deus como o “senhor”. Sim, um pensamento ridículo. Fiquei pensando: como posso adorar um deus assim? E outra: por que raios é o diabo que ficou com a fama de mal? Apenas fiquei pensativo, sem abrir a boca, o que não é costumeiro. Trabalho em um lugar cheio de evangélicos fanáticos, homofóbicos e racistas, e sempre que algum comentário ridículo surge, retruco. Mas não desta vez.  Empaquei no meu pensamento. Como debater com uma pessoa tão merecedora de escárnio? Até agora não sei.

 

Por Henrique Guedes

Anúncios