Olá, amigos e amigas. Hoje irei falar de algo muito, muito estranho: o método lero-lero de comunicação, também conhecido entre os religiosos como “falando em línguas”. Quem aqui já foi em um culto sabe do que se trata, mas se você nunca esteve presente em um culto, cá está a explicação: falar em línguas, para os religiosos, significa “falar a língua do espírito santo”, ou seja, falar uma língua que não existe. Sim, é simples assim.

Sei lá, acho que sei tagarelar a língua do espírito santo. Sempre que tento cantar uma música em inglês ninguém entende. A língua do P deve ser válida. A língua dos gagos também. O Pereio é Phd no assunto. Mas se você não sabe falar em línguas, seus problemas acabaram, pois agora temos o manual lerolingüístico. Com vocês o professor Padre Jonas Adib:

 

Fácil, não é mesmo? Basta…inventar. Vamos ao exercício prático: “Ramanaus savatus ribibocas crementinas bebuns”. Eita, é mais fácil do que parece! O difícil é repetir a dose. Ainda não pegou a matéria? Bem, não se preocupe, temos mais uma aulinha grátis, com tradução no final. Aliás,  esse professor é fera!

 

Por Henrique Guedes

Anúncios