Vida? O que é isso? Apenas um conceito filosófico ou tem recheio de chocolate? Vida, pelo o que ouço, é apenas a irmã de consideração da existência.
Ela realmente existe? Digo, será que a idéia é realmente válida? Tenho minhas dúvidas.

A partir do momento  que nascemos, cada tic-tac existencial é o anúncio da nossa morte. Somos seres em constante decomposição. Sim, a carne que os vermes degustam não é tão fresca assim, e desta vez os restaurantes koreanos não têm culpa no cartório.

Somos seres mortos. Seres mortos, mas existentes. Não acho que a tal da vida deva receber o mérito pelos cadáveres andarem por vários anos. O prêmio é da existência. Como já disse o saudoso Fernando Pessoa, o homem é um cadáver adiado.

Pensemos: se morremos a cada segundo, durante anos, somos seres da morte. Além de usar a definição “vida”, podemos usar “morte”. É um processo, amigos. Nascemos, “morremos” alguns anos, chegamos no processo final, viramos rango de vermes, e deixamos de existir. Acho que deveríamos usar a definição “vida” só se fossemos imortais.

Não, isso não é uma teoria. Também não é um texto pessimista. Trata-se apenas de uma conversa, igual àquelas conversas de boteco com os amigos, sabe? Apenas isso. Algum comentário?

 

Por Henrique Guedes

Anúncios